Feed de Negócios

Tôa-Tôa: do sonho de amigos ao bloco que fez sucesso no carnaval de Santa Cruz


Por: Portal Arauto
Publicado 15/02/2021 18:49
Atualizado 15/02/2021 18:49

Feed de Negócios   FEED DE NEGÓCIOS

Para alguns, o Carnaval é apenas uma data comemorativa, que reúne milhares de foliões espalhando alegria nas ruas e salões de festas por onde passam. Já para outros, o significado é muito maior. Envolve paixão, tempo e muita dedicação. Deixa marcas e muitas histórias, além de criar laços, como é o caso dos amigos Leandro Baumgarten e Evandro Maciel, mais conhecidos como Neco e Dru. Apesar de divergirem quando o assunto é a Dupla Grenal, os santa-cruzenses compartilham o amor pela festividade e são os responsáveis por idealizar um dos blocos mais emblemáticos da cidade: o Tôa-Tôa.

E a história do bloco se confunde com a do Bar do Neco, pois foi lá – em meio a uma roda de amigos – que ele se originou e, desde então, construiu uma trajetória de sucesso e muitas alegrias para quem teve a oportunidade de vestir uma das camisetas dessa turma. Na ativa desde 1991, o empreendimento – na época, localizado na Rua Galvão Costa, em frente à Escola Ernesto Alves - já era bastante movimentado e, por dois anos consecutivos, se tornou um ponto de concentração do bloco Tietrago.

No entanto, o destino reservava uma outra história para o local. Com a decisão de um dos integrantes do Tietrago de não colocar o bloco na rua no carnaval de 2001, os amigos Neco e Dru – que já trabalhavam com a área de eventos – decidiram puxar a frente para não deixar morrer a tradição. “Quando o Fernando – do Tietrago - me propôs fazer o bloco naquele ano, eu logo neguei, porque não tinha como, fazia muito eventos na época. Mas dai em uma dessas, o Dru propôs que nós dois fizéssemos. Tentei argumentar mais de uma vez que não daria, mas o Dru dizia: vai dar sim, vai ser legal. E então decidimos que faríamos, mas que seria outro nome e, entre tantas sugestões, chegamos no Tôa-Tôa”, conta Neco.

No início, a ideia da dupla – bastante conhecida no meio dos jovens - era reunir aproximadamente cem pessoas. Contudo, a repercussão foi maior do que era esperada e já haviam muitas pessoas querendo ser parte do Tôa-Tôa. “Nossa primeira camiseta foi um tom verde pijama. Fizemos 230 unidades e vendemos todas. Já no primeiro ano e, assim como em todos os outros, faltaram camisetas. Aí no ano seguinte, as pessoas que ficaram de fora eram as primeiras a comprar e, com isso, vimos o bloco crescendo gradativamente”, relembra Dru.

Com esse sucesso e a expansão, o Tôa-Tôa teve que deixar a sede oficial. A estrutura do Bar do Neco já não comportava mais as concentrações e, por isso, o bloco foi mudando de casa, passando para a Bier Haus, Sociedade Ginástica, Avenida, Pavilhão Central, Pavilhão 3 do Parque da Oktoberfest e Complexo Inside. Por volta do quarto ano de atividades, o sucesso do Tôa-Tôa já era perceptível, quando alcançou cerca de 1,5 integrantes. “O princípio da nossa conversa, lá no bar, era fazer um bloco para reunir os amigos e, a partir disso, ter uma diversão, uma alegria e também proporcionar reencontros. Tinham pessoas que moravam fora da cidade, estado e até do país, que só víamos no carnaval, então fizemos parcerias, através do bloco, que vamos levar para vida”, afirma Neco.

Tôa Tôa: o bloco além do carnaval

Além de todas as “concentras”, Neco e Dru relembram dos momentos de integração do bloco, nos carnavais dos clubes, de rua e dos bailes nos salões do interior, como o Ulrich e Ruppenthal. A dupla também recorda os sucessos musicais da época. Dentre os hits de Ivete Sangalo e do Babado Novo, estava a música Tôa-Tôa da Banda Asa de Águia, considerada como hino do bloco. Há também quem nutriu um amor tão grande pelo grupo, que decidiu eternizá-lo na pele. “Ao menos 20 pessoas têm o nome do bloco tatuado no corpo”, salienta Neco.

Fora do carnaval, o bloco Tôa-Tôa foi destaque também na comunidade santa-cruzense ao realizar ações sociais e, no ano de 2008, eleger a representante Janine Alves de Paiva como rainha da 24ª Oktoberfest, a Festa da “Alegria” – sentimento que o grupo proporcionou a tantas pessoas e pretende voltar a oferecer, assim que for possível. “Acreditamos que a galera sente saudade do bloco. Quem sabe, pós-pandemia, poderemos juntar os mais próximos e fazer um ao menos um remember. Até porque éramos um dos melhores carnavais da região e é uma pena não termos mais essa festa aqui em Santa Cruz”, comentam os amigos.

Bar do Neco: um local de muitas histórias

Localizado desde 2015 até hoje na esquina das Ruas Ernesto Alves e Tiradentes, o Bar do Neco – além de ser o responsável por uma amizade verdadeira entre Neco e Dru, idealizadores do bloco Tôa-Tôa que fez história em Santa Cruz – continua sendo um ambiente alegre, ponto de encontro de muitos amigos para conversar e, principalmente, assistir os jogos do Grêmio e do Inter.

Aliás, foi através das equipes, que se originou um espaço decorativo e que guarda memórias nas paredes do bar. “Cada uma dessas 335 placas que temos aqui, ganhamos dos nossos amigos que viajam e trazem essas lembranças para nós. Começou em 2017, quando a Geral do Grêmio de Porto Alegre mandou uma placa dos Emirados Árabes – fazendo referência ao Mundial de Clubes – para a Geral daqui e eles pediram para eu pendurar aqui. Depois, um amigo colorado do Dru mandou uma para ele e assim fomos construindo”, explica Neco.

Amigos, colegas de trabalho, parceiros de carnaval e de vida, Neco e Dru são hoje gratos e felizes por terem construído uma trajetória histórica e de sucesso na cidade. “Agradecemos a todos que estiveram com nós, aos que trabalharam como voluntários e pelo bloco. E sobre nós, somos irmãos e estamos juntos na boa e na ruim, sempre”, destacam


Foto: Maiquel Thessing/Grupo Arauto
Idealizadores do bloco Toa Toa, Neco e Dru colecionam histórias de vida
Idealizadores do bloco Toa Toa, Neco e Dru colecionam histórias de vida

Foto: Divulgação
Integrantes do bloco realizando ações solidárias
Integrantes do bloco realizando ações solidárias

Foto: Divulgação
Em 2008, Janine Alves de Paiva, representante do Bloco Toa Toa foi eleita rainha da 24ª Oktoberfest
Em 2008, Janine Alves de Paiva, representante do Bloco Toa Toa foi eleita rainha da 24ª Oktoberfest

Foto: Divulgação
Primeira camiseta do bloco, no ano de 2001
Primeira camiseta do bloco, no ano de 2001

Foto: Divulgação
Bar oferece aos clientes momentos de alegria e oportunidade de conhecer histórias
Bar oferece aos clientes momentos de alegria e oportunidade de conhecer histórias