De pano em pano, uma paixão


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 13/02/2021 20:13

Geral   APTIDÃO

Em tempos de pandemia, muita coisa saiu da gaveta. Planos. Projetos. Aspirações. Há quem diga que foi momento de aprendizagens. E foi mesmo. Para muitos. Gabrieli Iasmin Scherer, de apenas 12 anos, é exemplo desta realidade. As horas a mais em casa – dada à suspensão das aulas –, oportunizaram novos hobbies para a menina, que mora com a família em Rio Pardense, interior de Vale do Sol. 

Em meio a trabalhos e tarefas de aula surgiu uma paixão: pintar. A menina que, segundo a mãe Márcia Scherer, sempre foi muito aplicada e estudiosa, viu através das tintas e dos pincéis uma maneira de expressar o seu amor e carinho pela vida e pelas pessoas que a rodeiam. 

É que a Gabi, como é carinhosamente chamada, apesar da pouca idade é uma guerreira. Aos sete anos descobriu pólipo juvenil, que são tumores no intestino. Mesmo com um tratamento intenso, a alegria da menina não cessou. “Ela sempre acreditou na sua recuperação. Nunca desistiu de seguir as recomendações médicas. Enfrentou com a força de uma criança”, conta a mãe.

Mas como diz o ditado, primeiro vem a chuva, depois o arco-íris. Foi por meio de desenhos e pinturas que os dias da vale-solense tornaram-se mais coloridos. E ela reproduz muito bem na sua arte em panos de prato. O trabalho puxado dos pais na lavoura de fumo também ajudou a despertar a habilidade e a fez querer ajudá-los em casa, já pensando no futuro. 

Mesmo estreando com os pincéis há poucos meses e sem curso algum, Gabrieli de cara impressionou a família pelo talento. Com tal intensidade, os pais instalaram internet em casa, para auxiliá-la tanto nos estudos remotos quanto nas pinturas. “Ela assiste aos tutoriais, vê desenhos, lê dicas, mas tudo que ela pinta é criação e inspiração dela”, destaca Márcia. As estampas preferidas da artista são de animais e flores. Os desenhos são feitos no papel e depois repassados ao tecido. Cada detalhe é feito minuciosamente por ela. 

É a própria Gabrieli que reforça que cada ilustração expressa um pouco de quem ela é. “Em cada pano de prato que eu pinto, tem um toque de amor”, ressalta. Aliás, a paixão já tem dado bons frutos. A mãe, entitulada como fã número um da filha, expõe nas redes sociais o trabalho da Gabi, e por lá não se poupam elogios. Foi através da divulgação da mãe que inúmeros panos de prato já foram encomendados. “Já vendemos para Curitiba, Venâncio Aires, Vera Cruz e Vale do Sol. Mais de 150 panos de prato foram pintados, um mais lindo do que o outro. Estou sempre pronta para ajudar a minha filha no que for preciso”, frisa a mãe, orgulhosa.

Gabi salienta que são os familiares, amigos e vizinhos que mantém o sonho vivo. Com o dinheiro ganho de sua arte, a menina ajuda os pais no pagamento mensal da internet, compra tintas e pincéis e conseguiu completar o valor para a compra de um guarda-roupa. E ainda sobra um pouco para guardar. Futuramente, ela pensa em participar de cursos de pintura para aprimorar o talento despertado em época de quarentena. “Quero me aperfeiçoar e ser uma grande pintora”, enfatiza, contente.

Se depender dos pais e da irmã caçula, Gabi vai longe, com o talento descoberto em meio à pandemia. “Não tenho dúvidas de que é um dom, e eu quero que esse dom seja mostrado ao mundo. Não pensando no dinheiro, mas sim na sua vocação”, frisa a mãe. “Eu não faço por fazer, faço por amor”, salienta a jovem artista. 


Foto: Caroline Moreira/Jornal Arauto
No dia a dia, Gabrieli se divide entre os estudos e, claro, a pintura
No dia a dia, Gabrieli se divide entre os estudos e, claro, a pintura

Foto: Caroline Moreira/Jornal Arauto
Em poucas horas, um novo desenho ganha forma nos panos de prato
Em poucas horas, um novo desenho ganha forma nos panos de prato