Santa Cruz decreta situação de emergência por conta de estragos com enxurrada


Por: Portal Arauto
Fonte: Assessoria de Imprensa
Publicado 05/02/2021 17:29
Atualizado 05/02/2021 17:38

Geral   PREJUÍZOS

Em decorrência dos inúmeros estragos causados pelas fortes chuvas que atingiram Santa Cruz do Sul na quinta-feira da semana passada, a prefeita Helena Hermany decretou situação de emergência no município. Os prejuízos envolvendo setor público e privado ultrapassam o montante de R$ 2,4 milhões. Conforme laudo meteorológico emitido pela Unisc, a precipitação de 112,4 mm em um curto espaço de tempo, com intensidade de 311,4 mm fez com que o sistema de águas pluviais entrasse em colapso por toda a área urbana.

Pelos cálculos da Defesa Civil local, 33.255 residências foram atingidas direta ou indiretamente pelo evento e 76 estabelecimentos do setor de serviços foram afetados. Houve relato e constatação de cinco casas destruídas e a RGE informou a queda de três postes impactando 2.753 clientes. Foram registradas 11 ocorrências de danos estruturais e perdas materiais e três ocorrências em escolas estaduais. Também foram registrados a queima de equipamentos e rompimento de adutora da Corsan, danos em tubulações pluviais, bueiros, calçadas e arruamentos. O 6º Batalhão de Bombeiros Militar atendeu 51 ocorrências. 

De acordo com o relatório, a cidade foi atingida e impactada com chuvas intensas, inundações, alagamentos, enxurradas e deslizamentos nos bairros Dona Carlota, Bekencamp, Santa Vitória, Santuário, Faxinal Menino Deus, Pedreira, Ana Nery, Bom Jesus, Senai, Schutz, Bonfim, Centro, Margarida Aurora, Várzea, Goiás, Avenida, Independência, Universitário, Santo Inácio, Arroio Grande, Rauber, Country, Higienópolis e Esmeralda e na área rural de Linha Santa Cruz. 

A partir da homologação do decreto por parte do governo do Estado e do reconhecimento por parte do governo federal, a prefeitura poderá contratar de forma emergencial a aquisição de bens, prestação de serviços e de obras, durante 60 dias, a contar dos eventos climáticos causadores dos desastres. Cidadãos também poderão ter acesso à antecipação de benefícios da Previdência Social, indenização por parte as seguradoras, renegociação de dívidas e aos recursos do FGTS. O objetivo é agilizar a reconstrução e a recuperação das áreas atingidas. 

Ao assinar o decreto, a prefeita Helena Hermany ressaltou que o objetivo é facilitar as ações de assistência à população afetada. “Muitas pessoas sofreram prejuízos e com esta medida poderão ter acesso a recursos para reconstrução de moradias e compra de móveis, as empresas poderão repor estoques e arrumar os estragos causados. Se pudermos acelerar as contratações, mais rápido a cidade vai estar bonita de novo”, disse ela.

Força-tarefa

A Defesa Civil, junto com a Guarda Municipal e demais secretarias de governo seguem trabalhando para restabelecer a normalidade de todos os atingidos pelas precipitações. Imediatamente após o evento uma equipe se deslocou as ruas, prestando auxílio aos mais necessitados, totalizando 93 atendimentos na noite do evento.

Até esta sexta-feira (5), a Prefeitura atendeu 623 famílias que se deslocaram ao pavilhão 3 em busca de auxílio, outras 454 que se dirigiram ao Cras Beatriz, e outras 356 que buscaram o Cras Integrar. Foram entregues um total de 1.305 cestas básicas. 

Também nos dias subsequentes ao evento, uma força-tarefa deu início à limpeza das ruas, remoção e destinação de lixo, limpeza de bueiros, bocas de lobo, galerias e canais de drenagem, totalizando 82 cargas de caminhão.


Foto: Arquivo/Portal Arauto
Pelos cálculos da Defesa Civil local, 33.255 residências foram atingidas direta ou indiretamente pela enxurrada
Pelos cálculos da Defesa Civil local, 33.255 residências foram atingidas direta ou indiretamente pela enxurrada