Registros civis reduzem durante a pandemia


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 07/02/2021 20:00
Atualizado 07/02/2021 20:47

Geral   CARTÓRIOS

A recessão econômica e as dificuldades geradas pela pandemia fizeram com que parte dos brasileiros, protelassem o sonho da maternidade. Em 2019, os nascimentos no país alcançaram a marca dos 2,8 milhões, mas em 2020, o número foi 6,76% menor, alcançando a marca dos 2,6 milhões. Os registros de nascimento já haviam registrado queda em relação a 2018, de 31,1%, naquele ano foram 3,6 milhões de nascimentos. Os dados são do Portal da Transparência do Registro Civil. O site destaca também o número de óbitos, que cresceu na mesma comparação, 13%, e o número de casamentos, que também teve redução de 35,8%.

O Rio Grande do Sul segue a mesma tendência. Os registros de nascimentos reduziram 4% entre 2019 e 2020, passando de 136,8 mil para 131,5 mil. Já as certidões de óbito mostraram alta de 3,8%. Em 2019 foram 90,1 mil registros, ante as 93,6 mil de 2020. A maior queda, no entanto, ficou nos registros de casamento, com mais de 10,1 mil certidões emitidas a menos. A redução representa 37,2%.

Cenário Local

Em Santa Cruz do Sul a realidade não é diferente, os números são, aliás, muito semelhantes aos do país. Em 2020, 1.589 crianças nasceram no município. O número é 7,8% menor em comparação aos 1.714 nascimentos de 2019. Os óbitos também tiveram uma redução de 3,4% passando de 1.074 em 2019 para 1.038 em 2020. Os registros de casamento também reduziram, muito por conta da impossibilidade da realização de cerimônias e festas. A queda foi de 44,1%, passando de 402 em 2019 para 279 em 2020.
Em Vera Cruz a situação é dissonante. Em 2019 nasceram 225 crianças, já em 2020 o número foi 11,1% maior, com 253 nascimentos. O número de óbitos reduziu em 3,4%. Foram emitidas no município 238 certidões em 2020 e 246 no ano anterior. Quanto ao número de casamentos, a queda foi mais expressiva: 68 em 2019 e 49 em 2020, o que representa 38,8% a menos.

Vale do Sol segue a mesma tendência da Capital das Gincanas. Em 2020 foram 87 nascimentos, já em 2019 foram 83, uma alta de 4,6%. A emissão de certidões de casamento, fugindo da tendência, cresceu 2%, passando de 20 em 2019 para 25 em 2020. Já o número de certidões de óbito registrados na cidade teve redução, 6,7%, passando de 112 em 2019 para 105 em 2020.

Nomes

Com a retomada da economia a tendência é de que os números se alterem para o próximo ano. Os dados do Portal da Transparência do Registro Civil também registram os nomes mais escolhidos pelos pais em 2020. Em Santa Cruz, Helena e Theo lideram o ranking dos nomes simples. Entre os nomes compostos Pedro Henrique e Maria Clara são os que estão na frente.

Maria Luiza, Maria Cecília e Enzo Gabriel dividem a preferência dos vera-cruzenses que escolheram nomes compostos, enquanto entre os nomes simples, Laura lidera, seguida por Helena, Nícolas, Benício, Joaquim e Gabriel. Em Vale do Sol, Joaquim é o mais escolhido entre os nomes simples e outros 10 nomes aparecem logo na sequencia. Entre os nomes compostos, a liderança fica com Anthony Miguel.

Sem Casamentos

O reflexo da pandemia ficou claro em abril de 2020. Em Santa Cruz, Vera Cruz e Vale do Sol, não houve registros de casamento. Além disso, na Capital das Gincanas também não teve registro de matrimônio no mês de maio. Julho mostrou um pico, porém, após novas medidas de enfrentamento à pandemia, os dados só voltaram a partir de setembro e mostraram estabilidade entre outubro e dezembro de 2020.

Janeiro de 2021

O primeiro mês de 2021 mostra queda no indicador de natalidade e alta no número de mortes na comparação com o primeiro período de 2020. Os dados das três cidades pesquisadas também revelam uma alta expressiva no número de matrimônios.

Em Santa Cruz, Vera Cruz e Vale do Sol, nasceram 146 crianças em janeiro de 2021, em comparação as 166 que haviam nascido no primeiro mês de 2020. Já o número de certidões de óbito foi mais alta nesse ano, passando de 139 em 2020 para 148. O que chama atenção é o número de registros de casamento, que começa a mostrar uma tendência de alta. Em 2020 foram 31 certidões emitidas, já em 2021, 51. Número quase 40% maior.


Foto: Rafael Cunha/Grupo Arauto
Óbitos e matrimônios diminuíram na região no ano passado, enquanto nascimentos cresceram
Óbitos e matrimônios diminuíram na região no ano passado, enquanto nascimentos cresceram