Sem jogos, atletas aguardam volta


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 13/01/2021 14:00

Geral   EXPECTATIVA

Desde março interrompidos, os campeonatos de futebol amador que movimentavam a região afetaram muito aqueles que tinham nos torneios uma chance de garantir uma renda extra para poder passar o mês de forma tranquila.

Em Vera Cruz, o atleta amador Gilson Almeida, conhecido por atuar em diversas equipes amadoras da região, foi um que sofreu as consequências que a pandemia trouxe para a realidade do futebol amador no Vale do Rio Pardo. Gilson, que já jogou pelas escolinhas do Clube Vera Cruz e do Avenida, além de ter atuado nas categorias de base do Santa Cruz e em clubes de São Paulo e da Alemanha, revela que tinha nos jogos principalmente do fim de semana a oportunidade de ter uma renda considerável. “Conseguia passar a semana tranquilo sem mexer no salário da empresa apenas com o que ganhava nas partidas”, destaca o jogador.

Sem os torneios, além de não poder contar com o dinheiro extra que recebia, Gilson ainda se viu sem a possibilidade de fazer um de seus passatempos favoritos, que era disputar os campeonatos amadores pela região. Nos torneios, o jogador vera-cruzense jogava em Vera Cruz, Santa Cruz do Sul, Lajeado, entre outras cidades, sempre tendo se destacado pelo bom futebol e carisma. “Para mim isso tudo representava alegria e amizade. Os amigos que tenho hoje, 90% foi o futebol que me deu, então ficar um ano sem poder jogar é complicado”, revela. Mesmo com a impossibilidade da realização de torneios, o jogador decidiu realizar corridas e treinos funcionais para manter o condicionamento físico.

Jovens

A impossibilidade da realização dos campeonatos não afetou somente os atletas já consagrados. Os jovens também têm sofrido com os reflexos da pandemia no esporte. Exemplo disso é o atleta vera-cruzense Douglas Griebel da Cunha, de 20 anos, que revela sentir falta dos campeonatos. “Está sendo um período extremamente difícil, pois jogar futebol é uma rotina que se torna parte da vida da gente, além de fazer bem à saúde, é uma forma de esquecer os problemas do dia a dia”, ressalta.

O jogador afirma que costumava disputar campeonatos municipais de salão, futebol 7 e campo pela região nas cidades de Santa Cruz, Venâncio Aires, Candelária e em Vera Cruz. Segundo Douglas, os maiores valores geralmente eram pagos aos jogadores em Santa Cruz do Sul e Venâncio Aires. 

Agora, com a proximidade da vacina, Douglas aguarda para poder retornar e garantir uma renda extra. “Aprendi que devemos ter paciência com as coisas, pois tudo tem seu tempo, e também que muitas vezes precisamos nos reinventar para fazermos as coisas fluírem”, afirma.


Foto: Divulgação
Douglas tem realizado treinamentos visando o retorno
Douglas tem realizado treinamentos visando o retorno