Vale do Rio Pardo chega a 123 mortes por coronavírus


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 12/01/2021 07:00
Atualizado 12/01/2021 13:58

Geral   EM ALERTA

123. Esse é o número de mortes registradas até agora em decorrência da Covid-19 no Vale do Rio Pardo - nas 13 cidades de abrangência da 13ª Coordenadoria Regional de Saúde (13ª CRS) - conforme informações fornecidas até ontem pelos municípios. Um índice que choca e preocupa, sobretudo pela crescente de mortes em função da doença registrada nos últimos dias - um reflexo, em partes, das festas de fim de ano e dos períodos de veraneio e férias, de acordo com a coordenadora da 13ª CRS, Mariluce Reis. 

No primeiro ano de enfrentamento à pandemia, em 2020, a região chegou na marca de 104 vítimas pelo coronavírus - conforme levantamento realizado pela reportagem do Jornal Arauto juntos aos municípios e através dos boletins epidemiológicos. Após as primeiras semanas de cancelamento de eventos e a publicação dos decretos municipais com as novas regras - lá em março do ano passado -, o Vale do Rio Pardo teve os primeiros óbitos pela Covid-19 em abril. Foram três neste período, todos moradores de Venâncio Aires. E desde então, esse índice não parou de crescer - como pode ser observado no gráfico abaixo. 

PERÍODOS COM MAIS MORTES

Os dados mostram que o mês em que o Vale do Rio Pardo teve mais óbitos pelo coronavírus em 2020 foi dezembro. No total foram 29 vítimas, 10 delas apenas em Santa Cruz do Sul, seguido por Candelária, com oito. A situação mais agravada no último mês do ano segue a tendência do Estado, quando neste período foram quase 1,9 mil vítimas. Entre as consequências, Mariluce salienta que esse aumento pode estar atrelado às flexibilizações nos municípios, bem como às aglomerações, que mesmo com a proibição seguem ocorrendo.

Se comparado com agosto, o segundo mês com mais mortes no ano passado na região, dezembro teve 34,5% mais vítimas pelo coronavírus. No oitavo mês do ano, no qual foram contabilizados 19 óbitos, Santa Cruz do Sul, Venâncio Aires e Vera Cruz tiveram os maiores índices, com cinco vítimas cada.  

MENORES ÍNDICES

Se observados os índices dos meses subsequentes a agosto é possível notar uma redução do número de mortes até outubro. Porém, em novembro esse volume voltou a subir, seguindo a tendência de outros índices como número de casos confirmados, que resultou também na maior procura junto às unidades de atendimento a pacientes confirmados ou com suspeita para a Covid-19 - conforme noticiado pelo Nosso Jornal na época. 
Os meses com menos registros de mortes em 2020 foram os primeiros de enfrentamento à pandemia: abril, maio e junho. 

REGIÃO SEGUE NA BANDEIRA VERMELHA

O cenário atual da pandemia na região é de risco, conforme a coordenadora da 13ª CRS, pois além do alto número de óbitos, na semana passada a ocupação de UTIs na macrorregião dos Vales chegou a ser a maior de todo o Rio Grande do Sul e os casos confirmados vêm aumentando. A expectativa dela, inclusive, era de que a magrorregião de Santa Cruz do Sul fosse classificada em bandeira preta. Contudo, conforme divulgado em mapa preliminar na última sexta-feira e confirmado ontem, a região segue em bandeira vermelha, podendo se valer das regras da laranja pelo sistema de cogestão.


Arte: Jornal Arauto
Agosto e dezembro foram os meses com mais óbitos pela Covid-19 em 2020
Agosto e dezembro foram os meses com mais óbitos pela Covid-19 em 2020