Gasto com compras de Natal é menor, mas sem sair de mãos vazias


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 24/12/2020 11:33
Atualizado 24/12/2020 11:33

Geral   GARANTINDO OS PRESENTES

As vitrines e o interior das lojas enfeitados com pinheiros, Papais Noéis e adornos, bem como as músicas que ecoaram pelas ruas deram o tom natalino às compras, mas por outro lado, o uso da máscara e do álcool em gel indicaram atenção aos cuidados de prevenção à Covid-19, afinal, o Natal está diferente neste ano. Com o comércio atendendo em horário estendido, lojistas comemoraram a maior movimentação se comparado aos últimos meses de pandemia, principalmente à noite, que foi opção para aqueles que preferiram garantir os presentes com mais tranquilidade e tempo. 

Para Marines Jucelaine da Silva, moradora de Linha Henrique D’Ávila, interior de Vera Cruz, a ida à noite foi solução encontrada para que não precisasse retornar ao centro do município novamente para esse fim. “Saí direto do trabalho e escolhi uma loja onde posso encontrar opções para toda a família, sem precisar ficar indo a vários lugares. Depois vou pegar carona com meu marido, sem me preocupar em vir mais um dia”, enfatizou a cliente. As diversas sacolas empunhadas no braço de Marines estavam recheadas de presentes para o esposo, os filhos, as noras e o pai. Segundo ela, mesmo neste ano atípico, apesar de economizar um pouco mais nas compras, não poderia deixar o Natal passar em branco e dar uma lembrancinha àqueles que ama. 

FUGINDO DO TUMULTO

Deise Silva e Leonardo Barbosa da Silva Júnior, moradores do bairro Santa Vitória, até tentaram fazer as compras de Natal no domingo à noite na terra da Oktoberfest, mas com o movimento intenso - registrado na data tanto no município como em Vera Cruz - preferiram voltar na segunda-feira depois do trabalho. Enquanto Deise disse estar pesquisando melhor os preços para gastar menos, em função da crise econômica, Leonardo fez o contrário, confessou estar comprando pelo que mais lhe agrada e nem tanto pelo preço. Segundo eles, assim como Marines, o objetivo foi não deixar a família sem presentes. 

Em recuperação, têm lojas com crescimento nas vendas

Para os lojistas de Vera Cruz e Santa Cruz do Sul, um dos dias de maior movimento foi o domingo. Apesar da expectativa um pouco mais baixa de vendas para este ano, muitos se surpreenderam com o número de clientes que circularam pelo comércio durante o horário estendido nesta data, mas também nos demais dias. “Como você pode ver, a loja não fica cheia e lotada de gente, o que é bom em função do distanciamento, mas da mesma forma, não paramos um minuto, sempre tem um cliente e outro para atender. Até facilita para que possamos atender melhor a cada um que chega”, frisou a gerente de uma loja em Vera Cruz, Suzi Hochscheidt. 

Alguns comerciantes relataram, ainda, que a pandemia fez os clientes adiantarem as compras, procurando evitar as aglomerações. De acordo com a vendedora em uma loja de calçados, bolsas e acessórios da Capital das Gincanas, Loiva Ullmann, o movimento para garantir os presentes começou ainda no início de dezembro. 

NA TERRA DA OKTOBERFEST

O proprietário de uma loja de artigos e roupas esportivos em Santa Cruz, Eduardo Swarowsky, comentou que o movimento é mais baixo em relação aos demais anos, além de que os clientes optaram por presentes com preços menores, tudo para economizar, mas sem deixar de presentear. 

Por outro lado, a gerente de outra loja de roupas da cidade, Camila Capiotti, revelou um crescimento de 15% em média em relação às vendas do ano passado. Segundo ela, nos primeiros meses de pandemia o movimento caiu bastante, mas a recuperação se deu de setembro pra cá. “As pessoas têm levado presentes de preços variados. Mas o que se nota de diferente é que antes costumavam vir famílias inteiras fazer as compras, mas neste ano vem um ou dois membros e fazem as compras pra todos. Além disso, são compras mais rápidas: o cliente escolhe o presente e sai da loja, tudo para evitar a transmissão do coronavírus”, explicou a lojista. 


Foto: Jornal Arauto / Taliana Hickmann
Apesar da crise econômica, lojas tiveram boa movimentação à noite
Apesar da crise econômica, lojas tiveram boa movimentação à noite