Calor exige mais cuidados com os pets. Veja dicas


Por: Portal Arauto
Publicado 04/01/2021 20:00
Atualizado 04/01/2021 20:02

Geral   ANIMAIS

Com a chegada do verão e dos dias de calor intenso, os cuidados com os animais de estimação devem ser redobrados. O recado é da veterinária Pâmela Franco Weber, de Santa Cruz do Sul, que elenca algumas dicas para os tutores. O principal alerta, segundo ela, são para os dias de intensas temperaturas. "É um período que exige cuidados bem diferentes dos de épocas frias. Assim como nós humanos, os pets também acabam sofrendo com as temperaturas elevadas. Mas, com atenção e cuidado, é possível aproveitar a estação e ter um verão agradável", diz.

Um dos cuidados básicos é manter água fresca sempre à disposição, passear nos horários adequados, fazer uso de medicamentos para evitar infestações por parasitas (pulgas e carrapatos) e aplicar protetor solar quando o pet for exposto a sol forte. "Para os que ficam no pátio, é necessário que tenha sempre uma área fresca e com sombra para se abrigar. Aos que vivem dentro de casa, podem aproveitar o ventilador e ar condicionado junto de seus tutores", comenta. 

As caminhadas, durante a estação mais quente do ano, devem ser feitas no início da manhã ou a partir do final da tarde. "Nunca nos horários de sol forte. É importante que o tutor toque o chão com o próprio pé para verificar se a temperatura está confortável. Piso quente pode levar a queimadura dos coxins (almofadinhas)", explica. O tempo do percurso, entretanto, varia de acordo com o preparo do animal. "Alguns estão acostumados a fazer caminhada, então conseguem fazer um percurso maior com tranquilidade. Mas, para os que estão iniciando, sugiro sempre que vá aumentando o percurso gradativamente e que sempre estejam de olho no pet. Se estiver muito ofegante e demonstrando sinais de cansaços, é o momento de parar", alerta.

Para identificar se os animais estão cansados, a veterinária indica que os tutores observem características como boca aberta e língua exposta. "Eles não transpiram pela pele como nós humanos, então o mecanismo para regular a temperatura corporal é através da boca", explica. Entre todas as raças de cães, por exemplo, as que mais sofrem nos dias de muito calor são as braquicefálicas - de focinho curto. "Por ter o focinho curto, eles têm uma maior dificuldade em manter o ar fresco inspirado. Com essas raças, os cuidados devem ser dobrados", recomenda. 

Água e alimentos

Embora os seres humanos costumem beber água gelada para suprir o calor, a recomendação - segundo a veterinária Pâmela - é oferecer água somente fresca aos animais. O objetivo é evitar o choque entre a temperatura da água e a do corpo do pet, que se mantém em torno de 38,5ºC. 

Conforme a veterinária, algumas frutas e legumes também podem ser oferecidos fresquinhos, como petiscos e de forma controlada. Entre os alimentos que não causam riscos, estão mamão, banana, melancia, melão, maçã, brócolis, cenoura, tomate e chuchu. 


Foto: Pixabay
Cães também sofrem com o calor intenso do verão
Cães também sofrem com o calor intenso do verão