“Essa luta deve ser todos” diz ativista em manifesto contra a violência racial


Por: Portal Arauto
Publicado 21/11/2020 08:00
Atualizado 21/11/2020 11:44

Região   RACISMO ESTRUTURAL

O dia dedicado a celebrar a Consciência Negra foi marcado por manifesto em Venâncio Aires pela morte de João Alberto Silveira Freitas, espancado por dois seguranças em Porto Alegre. Dezenas de pessoas ligadas à comunidade e a entidades afro do município se reuniram nesta sexta-feira (20) à noite em frente à Igreja Matriz com cartazes e faixa. O ato pacífico seguiu com carreata pelas ruas Tiradentes e Osvaldo Aranha, com o objetivo de manifestar repúdio à constante violência contra a população negra.

“Esse ato teve o propósito de nos solidarmos com o fato ocorrido com o João Alberto Silveira Freitas, covardemente morto por seguranças do supermercado Carrefour. O fato nos machuca e precisa ser muito bem refletido pela sociedade que necessita entender a gravidade, a crueldade que o racismo estrutural provoca para todos. Então, essa luta não é somente da negritude, mas também da branquitude, todos precisam estar envolvidos, se engajar para que situações como essa não se repitam de forma alguma [...] a cor da pele não deve ser aquilo que vá dizer algo sobre a pessoa, cada qual tem a sua identidade, cada qual tem as suas características e isso deve ser respeitado, isso se chama diversidade”, relata a psicóloga e co-criadora do Coletivo Agbára RS, Fernanda Landim.   


Foto: Divulgação
Dezenas de pessoas ligadas à comunidade e a entidades afro do município se reuniram
Dezenas de pessoas ligadas à comunidade e a entidades afro do município se reuniram