Feed de Negócios

Viveiros Werle: uma história semeada com sucesso


Por: Portal Arauto
Publicado 14/11/2020 17:38
Atualizado 14/11/2020 17:42

Feed de Negócios   FEED DE NEGÓCIOS

Luciano Werle ainda lembra a felicidade que sentiu ao retornar para casa, em 2000, após vender cinco bandejas de mudas de hortaliças. Em sua moto, com o vento no rosto, sentiu pela primeira vez o caminho para o qual estava predestinado. Proprietário do Viveiros Werle, especialista em mudas de eucalipto, de hortaliças e de flores, o morador de Passo do Sobrado trouxe para o município o que se tornaria uma das maiores empresas gaúchas do segmento. Com 20 mil metros, o viveiro atualmente conta com 32 colaboradores e é o maior produtor de flores de jardim, chás e tempero, além de já projetar o título na produção de flores em vaso, a partir de uma ampliação prevista para o próximo ano.

Mas nem tudo sempre foram flores, literalmente. Até os 24 anos, Werle ajudava os pais nas plantações de tabaco, mas ansiava por novidades. "Queria buscar algo novo e incrementar a renda", destaca. Foi assim que, num dia de chuva e sem poder sair para trabalhar, o jovem assistiu uma reportagem na televisão sobre um viveiro de São Paulo. Aquelas imagens ficaram em sua mente, até que um dia olhou para as bandejas de tabaco e percebeu que tinha tudo para também iniciar uma produção de mudas de hortaliças. "Eu nunca havia sonhado com isso, mas aquele momento foi o 'start' para tudo", relembra. 

Em uma Sexta-feira Santa no ano de 2000, Luciano semeou 30 bandejas. Com sua motocicleta, começou a passar de casa em casa para comercializar os produtos. Durante as manhãs, fazia os pedidos e ao fim da tarde realizava a entrega das mudas de alfaces, repolhos e beterrabas. Porém, ele percebeu que isso não seria suficiente e que precisava de apoio. "Fui perguntar no comércio em Santa Cruz do Sul se alguém venderia as mudas, mas na época interessavam-se mais por mudas em pacotes e não em bandejas. Voltei ao carro, onde meu pai esperava e ele me perguntou: 'Vão ficar com alguma coisa?'. Desanimado, respondi que achava que não daria certo", se recorda. 

O que ele não sabia era que, no retorno para casa, em uma parada num posto de combustível, tudo mudaria. "Desci do carro e vi muito movimento em um bar nas proximidades. Vi que alguém saia do local com um saco de ração e questionei ao frentista sobre o local. Quando ele me disse que ali vendia de tudo, resolvi oferecer as bandejas", conta. Então, Luciano voltou para casa sem cinco bandejas e aguardou ansioso por uma semana, em um período sem celular, para ter notícias sobre a comercialização dos produtos. Na semana seguinte, voltou até o local e não encontrou o proprietário do bar. Por uma fresta da porta, enxergou as bandejas e viu que algumas mudas haviam sido retiradas. Foi nesse dia que voltou anestesiado de felicidade para casa, ao perceber que o comércio de mudas de hortaliças era sim possível. 

Mais uma semana passou e ele retornou ao local. Quando entrou no bar, enquanto aguardava ser atendido, observou ao seu redor e não encontrou suas bandejas. "Devem ter estragado", pensou. A decepção, entretanto, logo foi substituída pela esperança. "Olha aqui, rapaz? Quantas bandejas você tem em casa? Me traz mais porque vendeu tudo", disse o proprietário do estabelecimento. Mesmo com incertezas e momentos difíceis, Luciano nunca desistiu. E foi essa persistência que o levou até onde está atualmente.

Sucesso semeado

Do comércio tímido e do trabalho familiar, ao lado dos pais Ivo e Romilda Werle, da irmã Maria e esposa Michele, o Viveiros Werle transformou-se num grande negócio. "Quando grupos de jovens nos visitam eu digo: busquem informações. Precisamos trabalhar e acreditar muito. Quando você se torna empreendedor, você tem grandes desafios. Mas se você tiver o conhecimento, a vontade de trabalhar e a consciência de que pode haver dificuldades, tudo dará certo", pontua. 

Atualmente, o empreendimento produz flores, mudas de hortaliças e outras variedades para diversas regiões do Rio Grande do Sul, abrangendo os Vales, a região metropolitana e central, a Serra Gaúcha e Sul do Estado. Com tecnologias de ponta, vindas inclusive da Itália e Holanda, a família Werle e seus companheiros colaboradores atuam diariamente, fazendo florescer bons e inspiradores negócios. 


Foto: Maiquel Thessing/Grupo Arauto de Comunicação
Estabelecimento conta com 32 colaboradores
Estabelecimento conta com 32 colaboradores

Foto: Maiquel Thessing/Grupo Arauto de Comunicação
Viveiro fica em Passo do Sobrado
Viveiro fica em Passo do Sobrado

Foto: Maiquel Thessing/Grupo Arauto de Comunicação
Área do local é de 20 mil metros
Área do local é de 20 mil metros

Foto: Maiquel Thessing/Grupo Arauto de Comunicação
Além de mudas de hortaliças, viveiro também conta com diversas flores
Além de mudas de hortaliças, viveiro também conta com diversas flores

Foto: Maiquel Thessing/Grupo Arauto de Comunicação
Tecnologia é priorizada no local
Tecnologia é priorizada no local

Foto: Maiquel Thessing/Grupo Arauto de Comunicação
Em 2000, as primeiras bandejas foram semeadas
Em 2000, as primeiras bandejas foram semeadas

Foto: Maiquel Thessing/Grupo Arauto de Comunicação
De uma tímida ideia de um agricultor, Passo do Sobrado passou a sediar uma das maiores empresas gaúchas de mudas de hortaliças e flores
De uma tímida ideia de um agricultor, Passo do Sobrado passou a sediar uma das maiores empresas gaúchas de mudas de hortaliças e flores