Estufa de tabaco que utiliza energia solar é apresentada pela JTI


Por: Portal Arauto
Fonte: Assessoria de Imprensa
Publicado 04/11/2020 19:43
Atualizado 04/11/2020 19:45

Geral   INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE

A energia solar térmica é a nova aliada dos agricultores para a cura de tabaco. Graças às pesquisas desenvolvidas pelo Centro de Desenvolvimento Agronômico, Extensão e Treinamento (ADET), da Japan Tobacco International (JTI), em parceria com a empresa MJF Indústria e Manutenção de Máquinas, a tecnologia agora está disponível aos produtores em uma nova proposta de estufa para a cura de tabaco. A novidade marca o dia nacional da cultura e da ciência, comemorado neste 5 de novembro, pois apresenta resultados de uma pesquisa concreta que pode alterar o modo de trabalho de muitas pessoas, incentivando uma prática sustentável.

Nesse equipamento inovador, a energia solar é utilizada para o aquecimento do ar que, posteriormente, é aplicado no tabaco em processo de cura. Em condições climáticas favoráveis (dias ensolarados), a estufa é capaz de realizar as duas primeiras fases do processo – amarelação e murchamento, sem a necessidade de queima de lenha como fonte de calor– sistema convencional. Já para as fases de secagem da folha e do talo, a energia solar atua de maneira complementar, bem como à noite, dias nublados e em caso de chuva. O sistema também conta com controlador de cura, paredes antichamas e inversores de frequência que auxiliam no controle do fluxo interno de ar de acordo com cada fase.

Segundo o Supervisor de Mecanização do ADET, Janquiel Züge de Oliveira, a iniciativa possibilita o aumento da eficiência energética e a redução do consumo de energia elétrica. Isso se comprova no estudo realizado que apontou a redução de 28,8% no consumo de lenha comparado à utilização de uma estufa de mesmo modelo que não utilize a nova tecnologia. “Além disso, também há o benefício da redução de energia elétrica que em uma estufa que utiliza somente lenha é de R$1005,00 durante o ciclo de colheita da safra. Já no sistema com aquecimento solar, o custo é de R$576,99, segundo informações do produtor. Agora, se compararmos com uma estufa sem nenhuma melhoria técnica, (Estufa convencional) podemos falar de uma redução de até 78% de consumo de lenha e os benefícios são ainda maiores”, explica. Isso representaria R$ 3.920,00 de economia em uma safra, comparando duas estufas da mesma capacidade, versos os resultados de consumo obtidos neste primeiro teste em produtor.

Um novo modelo com o mesmo propósito de absorção solar, porém com algumas melhorias que prometem reduzir a mão-de-obra, além de uma eficiência energética ainda maior, será testada dentro do ADET, nesta safra.

Além disso, o modelo desenvolvido possibilita a diminuição da emissão de gases efeito estufa e a redução da mão de obra. “Em um sistema convencional, é preciso que o agricultor alimente a estufa com lenha diversas vezes ao dia. Como esse modelo reduz a utilização dessa fonte de calor, há menos geração de poluentes e menor necessidade de abastecimento da estufa e, portanto, menos mão de obra envolvida no processo de cura”, destaca Oliveira. Essa percepção é comprovada pela experiência do agricultor João Batista Goettems, de Arroio do Tigre, que teve uma estufa com aquecimento solar instalada na propriedade para os estudos do ADET na safra 2019/2020. “É um equipamento simples, de fácil manuseio e em dias quentes, nas fases de amarelação e murchamento, a estufa praticamente não demanda lenha, curando somente com o aquecimento solar e, dessa forma, me liberando para outras atividades”, afirma.

O Gerente do ADET, Mauro Luiz Feuerborn, ressalta que o foco da JTI é sempre desenvolver novas soluções, identificar alternativas e parceiros de negócio que venham ao encontro dos objetivos da empresa com um olhar atento ao aumento de qualidade, redução da emissão de gases e produção de tabaco sustentável. “O desenvolvimento dessa estufa, voltada aos agricultores familiares, representa o nosso compromisso com a sustentabilidade do meio ambiente e da própria agricultura. Sabemos que precisamos pensar em um futuro que pode ter escassez de mão de obra, além de pensar no aumento da qualidade de vida dos produtores, e essa é uma solução que consegue agregar todas essas questões”, afirma. Segundo ele, a implementação desse sistema nas propriedades integradas da empresa pode ser financiada pela JTI mediante análise de crédito dos produtores.  Para aqueles que desejarem conhecer a estufa com energia solar, um modelo está sendo instalado no ADET e pode ser visitado mediante agendamento.


Foto: Divulgação/JTI
Equipamento inovador reduz em 29% a utilização de lenha na cura do tabaco, diminui necessidade de mão de obra e emissão de gases do efeito estufa
Equipamento inovador reduz em 29% a utilização de lenha na cura do tabaco, diminui necessidade de mão de obra e emissão de gases do efeito estufa