Não tem idade para plantar saúde


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 17/10/2020 17:00

Geral   SEMANA DA ALIMENTAÇÃO

Pode ser hobby, passatempo, terapia. Pode ser vontade de se conectar à terra e produzir nela o alimento que vai para a mesa de toda família. Pode ser uma forma de manter o corpo e a mente em ação. Pode ser tudo junto que motiva muita gente a cultivar sua horta. Na terceira idade também. Que o digam Eli Loebens e Bernardo Heck, que têm em comum mais do que a trajetória ligada à educação e ao gosto pelo resgate da história vera-cruzense. Eles fazem questão de botar as mãos na enxada e cultivar alimentos saudáveis para toda família. Nesta que é lembrada como a Semana da Alimentação, dois exemplos que vêm a calhar pela determinação, o entusiasmo e a longevidade.

É no início da localidade de Dona Josefa que a propriedade da família Loebens recebe quase que diariamente o entusiasmo de dona Eli com suas verduras. Aos 88 anos, ela, que trabalhou por 11 anos no comércio  e 32 anos no magistério, tem muita história para contar. E a horta surgiu em sua vida justamente enquanto lecionavam, Eli e o esposo, Cláudio, em Dona Josefa. Era o ano de 1972 quando Eli apresentou problemas de saúde e, na época, o médico recomendou melhorar a alimentação. Foi então que resolveu cultivar uma horta na propriedade escolar, para ter mais saúde e qualidade de vida. Desde então, há quase 50 anos, produzir alimentos virou rotina em sua vida.

“A horta é uma farmácia natural. E plantar faz bem para a cabeça e para mexer os membros. Mexer na terra rejuvenesce e ajuda até na autoestima”, garante dona Eli, que cultiva beringela, pimentão, tomate, salsa, alho poró, beterraba, brócolis, couve, repolho, cenoura, cebola, alface, chuchu, abobrinha e o que mais desejar, tudo sem agrotóxicos, para alimentar toda a família.

Satisfação em produzir

Bernardo Heck, 87 anos, tem no centro da cidade dois terrenos onde cultiva de tudo, verduras e um amplo pomar. Ao se aposentar da extinta Verafumos, em 1990,  ele adquiriu a área para plantar e vai lá duas vezes por dia para mexer na terra e cultivar alimentos. Além de garantir pelo menos quatro variedades de salada todo dia na mesa da família, conta a filha Lisete, uma das maiores satisfações de Bernardo é distribuir o excedente entre os vizinhos. “É uma forma de não deixar a pessoa ociosa”, resume ele, que tem na horta e no pomar uma atividade diária para se manter ativo e ocupado. E quando se depara com frutas graúdas, verduras vistosas, a produção enche ainda mais de orgulho.


Foto: Carolina Almeida/ Jornal Arauto
Eli estudou benefícios das verduras para se alimentar
Eli estudou benefícios das verduras para se alimentar

Foto: Carolina Almeida/ Jornal Arauto
Bernardo fica realizado ao colher para família e vizinhos
Bernardo fica realizado ao colher para família e vizinhos