Venâncio-airense investigado por fornecer drogas para a região é preso em megaoperação


Por: Portal Arauto
Publicado 09/10/2020 07:34
Atualizado 09/10/2020 09:42

Polícia   AÇÃO POLICIAL

A Polícia Civil realizou na manhã desta sexta-feira (9), em Lajeado, a megaoperação denominada Godfather. A ação foi coordenada pela Delegacia de Polícia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) de Lajeado, mas contou com o trabalho de policiais civis de Santa Cruz, Venâncio Aires e outras cidades da região. No total, 10 homens foram presos preventivamente.

Desencadeada no combate ao crime organizado, a operação teve como objetivo desarticular organização criminosa atuante nas cidades de Lajeado, Bom Retiro do Sul, Venâncio Aires, Torres e Florianópolis, em Santa Catarina, voltada ao tráfico de entorpecentes e a posse de armas de larga escala.  

A  ação policial contou com a cooperação de mais de 150 policiais - dentre civis, militares, rodoviários - e empregou 48 viaturas. Além disso, seis cães de faro participaram da ação. Conforme a Polícia Civil, os policiais cumpriram 10 mandados de prisão preventiva e 18 mandados de busca e apreensão em residências particulares e estabelecimentos comerciais.

Na Capital do Chimarrão, as ações aconteceram no Bairro Aviação e em um sítio no interior. No total, além das prisões preventivas realizadas em todos os municípios alvos da operação, um homem e uma mulher também foram presos em flagrante. Todos eles foram encaminhados ao Presídio de Lajeado. 

A investigação

A Polícia Civil apreendeu R$ 8 mil, um veículo, um fuzil calibre .5,56, duas espingardas calibre .12 e 24 celulares. Resultados obtidos após uma longa investigação que, desde março, realizou um minucioso acompanhamento das atividades dos traficantes e usuários, identificando o modo de atuação, de onde a droga vendida era originada e quem a fornecia.

Conforme o delegado Dinarte Marshall Júnior, o fornecedor transportava cerca de 400 quilos de maconha a cada remessa, distribuindo 100 quilos para a região a cada entrega. "Acredita-se que o principal alvo local, o qual comandava a venda de maconha e drogas sintéticas em Lajeado e parte do Vale do Taquari, movimentava cerca de R$ 800 mil por ano. Apurou-se que as drogas sintéticas abasteciam festas de música eletrônica na região", diz.

O responsável pelo fornecimento das drogas, de acordo com Dinarte, tem 36 anos, é natural de Venâncio Aires e foi preso no litoral de Santa Catarina durante a operação. O indivíduo era responsável pelo fornecimento dos entorpecentes comercializados no Vale do Taquari e Rio Pardo. "A operação desencadeada nessa madrugada objetivou não apenas apreender drogas e pequenos traficantes, mas sim buscou-se atingir financeiramente a organização e a chefia da organização", ressalta.

Segundo o delegado, a operação desarticulou uma bem estruturada organização criminosa que atuava desde 2018 na região, explorando a venda de entorpecentes e realizando a ocultação e dissimulação dos valores obtidos por meios ilícitos. "Há relatos de usuários de que as dívidas de drogas eram cobradas com extrema violência pelos gerentes do tráfico, utilizando intimidação com armas de fogo e agressões. A maioria dos alvos da operação já ostentavam antecedentes policiais por crimes de tráfico de drogas", comenta. 


Foto: Divulgação/Polícia Civil
Na Capital do Chimarrão, ações aconteceram no Bairro Aviação e em um sítio no interior
Na Capital do Chimarrão, ações aconteceram no Bairro Aviação e em um sítio no interior

Foto: Divulgação/Polícia Civil
Polícia Civil realiza ação na manhã desta sexta-feira em Lajeado
Polícia Civil realiza ação na manhã desta sexta-feira em Lajeado