Polícia conclui que homem foi morto por engano em Santa Cruz


Por: Portal Arauto
Publicado 08/10/2020 07:06
Atualizado 08/10/2020 07:10

Polícia   INVESTIGAÇÃO

"Mas por que estou morrendo?" Essas foram as últimas palavras de Olávio Willms, de 53 anos, antes de ser brutalmente assassinado no início da noite do dia 19 de setembro. Morador do bairro Margarida, em Santa Cruz, ele havia saído horas antes da sua casa para ir até um bar, onde costumava descontrair com amigos. Foi lá, que ele foi surpreendido por um criminoso armado. Sem conseguir esboçar qualquer reação, foi alvejado por diversos disparos de arma de fogo e morreu sem nem ter ideia do porque havia sido atingido.

Querido no bairro e sem qualquer tipo de antecedente criminal, Olávio foi morto por engano. "Ele estava no lugar e na hora errada", comenta a responsável pela investigação, delegada Ana Luísa Aita Pippi, que comanda a 1ª Delegacia de Polícia Civil de Santa Cruz. "Ele tinha esse costume de ir no bar beber com amigos e nesse dia aconteceu um fato cujo responsável estava sendo procurado para vingança. Mas quem estava sendo procurado não era ele. A gente tem certeza que o Olávio foi morto por engano. Os assassinos não sabiam direito quem era o alvo, acharam que era ele em função de uma semelhança com a pessoa que eles estavam atrás e acabaram matando esse senhor por equívoco", conta.

Retaliação

A delegada é enfática ao dizer que Olávo não tinha nada a ver com o verdadeiro alvo. "A investigação já sabia logo de início que a morte se deu em retaliação de um outro crime", comenta. O crime em questão foi uma tentativa de homicídio ocorrida no mesmo dia, em outro ponto da cidade, no bairro Várzea. De acordo com a responsável pela 1ª DP, uma mulher, de 59 anos, foi atingida por golpes de faca no abdômen por volta das 5h45min, dentro da casa onde mora. Relembre o caso. Graças a um cachorro, que também foi atingido por um golpe de faca, mas conseguiu fazer com que o homem fugisse, a mulher pediu socorro para vizinhos, recebeu atendimento e sobreviveu. "Esse indivíduo, que já identificamos, teria chegado na casa se apresentando como amigo do filho da vítima e como ela já o conhecia acabou deixando entrar. Horas depois ele pegou uma faca na cozinha e tentou esfaquear ela. Pelo que temos de depoimento até o momento ele teria tentado ter relações sexuais com a mulher, que se negou. Por sorte ela conseguiu se defender, teve um corte superficial, foi internada no Hospital e sobreviveu", destaca a delegada.

Após fugir, o criminoso passou a ser procurado para retaliação. Era ele, de acordo com a investigação da Polícia Civil, o alvo do crime que culminou na morte de Olávio. Agora, a 1ªDP busca avançar na investigação e responsabilizar tanto o autor da tentativa da morte da mulher quanto os responsáveis pelo homicídio de Olávio Willms. Detalhes de ambos os casos são mantidos em sigilo para não atrapalhar o andamento dos trabalhos.


Foto: Arquivo/Portal Arauto
Delegada Ana Luísa investiga o caso
Delegada Ana Luísa investiga o caso