Vale do Rio Pardo demitiu 2,5 mil trabalhadores a mais do que contratou em agosto


Por: Portal Arauto
Publicado 30/09/2020 18:19
Atualizado 30/09/2020 18:45

Região   EMPREGO E RENDA

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho (SEPRT), do Ministério da Economia (ME), divulgou nesta quarta-feira (30) os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Nos dados, o Vale do Rio Pardo aparece com saldo negativo de 2.457 vagas de emprego. Foram ao todo, na região, 6.212 desligamentos, contra 3.755 admissões.

O dado se deve principalmente a sazonalidade da indústria de tabaco que, nesse período, começa a romper os contratos pelo final da safra de 2020. Por este motivo, historicamente, a região demonstra um aumento de contratações no primeiro trimestre do ano e uma alta nas demissões nos meses de agosto, setembro e outubro.

O município de Venâncio Aires responde por 1,9 mil na balança de admitidos e demitidos. Todas as demissões no setor industrial. Santa Cruz do Sul vem logo na sequência, com 2.652 desligamentos, contra 1.793 contratações, um saldo negativo de 859 vagas. Já Candelária registrou saldo negativo de 42 vagas.

As admissões, no entanto, cresceram na região em relação ao mês de julho, quando 3.454 trabalhadores haviam sido contratados. A alta representa 8,01%, ante aos 75,57% a mais de trabalhadores demitidos na região.

Os dados levam em conta os 23 municípios integrantes do Vale do Rio Pardo.


Foto: Divulgação/Agência Brasil
Em Venâncio Aires saldo negativo foi 1,9 mil; Santa Cruz do Sul responde por 859 vagas a menos
Em Venâncio Aires saldo negativo foi 1,9 mil; Santa Cruz do Sul responde por 859 vagas a menos