Nova denúncia, agora de rachadinha, é protocolada na Câmara de Vera Cruz


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 17/08/2020 14:10
Atualizado 17/08/2020 14:56

Geral   POLÍTICA

A manhã desta segunda-feira (17) foi de protocolo de uma nova denúncia na Câmara de Vereadores de Vera Cruz. Desta vez, partiu de um vereador e embasado em documentos entregues ao Ministério Público na última sexta-feira. Na denúncia de hoje, foi informado um suposto esquema de repasse de parte de salários e férias, conhecido como "rachadinha". No documento cita os períodos em que a tal prática teria ocorrido, bem como os servidores que teriam repassado valores, garantindo, dessa forma, a permanência no cargo.

O presidente do Legislativo, Waldir Justmann, que tem o nome mencionado no documento, disse que "está muito tranquilo" e que a denúncia de hoje objetiva ofuscar a do Fura-Fila, protocolada na semana passada, cujo procedimento de instalação da Comissão Parlamentar Processante (CPP) - caso o plenário aprove - ocorre nesta segunda-feira. "O denunciante no Ministério Público é ligado ao PTB e uma das testemunhas é irmã de um vereador do PTB. Está evidenciado que é para ofuscar o Fura-Fila", reforça Justmann, ao questionar, ainda, o porquê da denúncia ser feita apenas agora. "Se eu sei de alguma irregularidade, por que esperar? Disse que me disse é fácil. Precisa ter provas", pontuou.

Conforme a assessoria jurídica do Legislativo de Vera Cruz, as duas denúncias protocoladas – a do Fura-Fila e a da Rachadinha - irão a votação em plenário na noite desta segunda-feira (17). Nesse primeiro passo, o Plenário aprova ou não a instalação de uma CPP, que então passa a apurar os fatos. Só depois um relatório é elaborado para que ocorra a votação de um possível processo de cassação dos envolvidos. No âmbito da Câmara, a denúncia do Fura-Fila foi protocolada por Jerônimo Dilamar da Silva e a de Rachadinha pelo vereador Marcelo Rodrigues de Carvalho.

NO MINISTÉRIO PÚBLICO
A denúncia do suposto esquema de rachadinha foi protocolada no fim da tarde de sexta-feira (14) no Ministério Público de Vera Cruz. No entanto, de acordo com a promotora, Maria Fernanda Cassol Moreira, ela ainda não foi analisada, tampouco dado início às investigações. Conforme Maria Fernanda, neste momento "começam um monte de denúncias em função da eleição". "É muito complicado. Esse tipo de coisa precisa de prova. Eu já tive um expediente que eu ouvi praticamente todos os ex-servidores da Câmara e ninguém confirmou nada, infelizmente. Porque todo mundo fala que existe, só que ninguém quer confirmar", observa.


Foto Arquivo Jornal Arauto
Denúncia foi protocolada na Câmara de Vereadores nesta manhã
Denúncia foi protocolada na Câmara de Vereadores nesta manhã