Um minijardim como terapia nesta quarentena


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 01/08/2020 08:53
Atualizado 01/08/2020 08:53

Geral   EM CONTATO COM A NATUREZA

Combater o estresse, a ansiedade, a fadiga mexendo com a natureza em minúsculos jardins que cabem em um minimundo cheio de detalhes e de vida. E com um bônus para quem vive em espaços compactos: para ficar dentro de casa, sem precisar de um pátio para cultivar. A elaboração de terrários tem cada vez ganhado mais adeptos, talvez neste ano, que todos estão mais em casa, tendo que driblar os efeitos da quarentena, isso seja ainda mais latente. Escolher a melhor planta, vidraria e elementos faz bem para a saúde mental, que por sua vez reflete positivamente no corpo humano.

Uma verdadeira terapia junto da natureza, com a possibilidade de explorar a criatividade e ganhar renda. E dá para aprender muito pela internet, já que cursos presenciais, neste momento, não ocorrem. Cabeleireira conhecida em Vera Cruz por ter anos e anos de salão, Liane Faber caiu nas graças dos terrários e passou a conciliar as duas artes - com a natureza e com a beleza. 

Há muito tempo Liane vem cultivando rosas, e em vários momentos de sua vida teve as plantas como terapia. Quando começou a quarentena, em março, ela participou de um curso especializado em terrários e dali em diante não conseguiu parar de criar. “Foquei em mais cursos, mas tudo online. Algo extraordinário aconteceu! O mais lindo disso tudo é a inspiração que o meu Deus me dá”, frisa Liane. Até nos sonhos, as imagens de terrários vêm à mente e a inspiração divina, seja na floresta, no lago ou em caminhos que são delicadamente concebidos dentro de um vidro, a cabeleireira enxerga o poder de sua fé. “Estou vivendo um momento muito íntimo a cada produção que faço. Desde criança, tive o sonho de ser cabeleireira e já estou há quase três décadas atuado nesta área, e sempre fui apaixonada pela profissão. E hoje também posso dizer que estou apaixonada, porque os terrários fizeram meu coração bater mais forte de emoção”, compartilha ela, que se delicia com cada etapa da produção, desde a compra dos vidros, a escolha das pedras, das plantas, a relação de afinidade com os musgos, e assim vai criando um minimundo. 

Leia matéria completa na edição deste fim de semana do Jornal Arauto.

 


Foto: Carolina Almeida/ Jornal Arauto
Cabeleireira Liane aproveitou o momento atípico para aprender e criar seus terrários
Cabeleireira Liane aproveitou o momento atípico para aprender e criar seus terrários