Para Vanessa, motorista de caminhão, aprendizado na estrada é diário


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 25/07/2020 16:20
Atualizado 25/07/2020 16:20

Geral   ESPECIAL COLONO E MOTORISTA

Há muito tempo, a profissão de motorista de caminhão deixou de ser apenas ocupada por homens. Vanessa da Silva, de 36 anos, é prova disso. Mulher, ela se orgulha do trabalho. “Sempre gostei de caminhão. Ficava fascinada quando via aqueles gigantes e pensava: um dia vou dirigir um desses”. Com persistência, mas acima de tudo vontade, Vanessa começou a viajar com o esposo em 2004. José Carlos de Melo também é caminhoneiro e na época atuava em carreta levando contêineres para Rio Grande. Mais tarde, passou para um caminhão baú e desbravou o Brasil. “Então ele foi me ensinando, me mostrando os lugares e as manhas da estrada até que em 2007 eu tirei a tão sonhada CNH E”, conta Vanessa, que a partir daí passou a ser dupla de José Carlos nas viagens. Em 2012, uma nova conquista: começou a viajar sozinha. Porém, sempre que possível, a empresa na qual ambos trabalham, a Trans Pick, de Vera Cruz, concilia as viagens, para que possam rodar o Brasil juntos.

Vanessa ama o que faz. Diz que pegar a estrada se tornou algo normal e gratificante. Mas não esconde o receio de um assalto ou acidente. “Deus sempre nos acompanha. Só Ele para nos guardar”, pontua ela, que pela experiência na estrada sabe o quão importante é ficar em postos com bastante movimento, em locais seguros ou em estacionamentos. Na estrada, também, avalia a experiência no volante como fundamental. “Pegar a estrada com um caminhão carregado, pesado, não é a mesma coisa que dirigir um carro. Muda totalmente”, revela, ao contar, por exemplo, de uma demora maior na hora do veículo parar, nas dificuldades em subir uma serra ou descer em trecho sinuoso. “Tem que ter cuidado, atenção e responsabilidade ao sentar atrás de um volante e ser humilde para saber que todos os dias você está aprendendo. Não importa se você tem um ou dez anos de profissão”, observa.

DESAFIOS
Nestes 10 anos de estrada, Vanessa enfrentou um bocado de adversidades. Teve o caminhão quebrado no meio do nada, como ela mesmo conta, teve que pedir carona para buscar socorro. Já teve o caminhão atolado, precisou voltar de ré porque não passava sob o viaduto e tantas outras histórias. “Mas tudo se resolveu”, brinca ela, que conhece 90% do Brasil, transportando produtos da Metalúrgica Mor, Germânia, Tramontina, Refrimate e tantas outras. Em um Iveco 410, Vanessa viaja pelo país, conhece pessoas, lugares e vive experiências recompensadoras. Sente falta também da família, dos amigos, de estar em casa. “Mas é a profissão que escolhemos. E nem tudo são flores, né?”, arremata.

A história de Vanessa integra o Especial Colono e Motorista, produzido pelo Jornal Arauto e encartado na edição de sexta-feira. Leia mais no impresso. 


Foto Taliana Hickmann/Jornal Arauto
Vanessa da Silva é motorista de caminhão e viaja por todo o Brasil
Vanessa da Silva é motorista de caminhão e viaja por todo o Brasil