Casal aposta em morangos para a diversificação da propriedade


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 25/07/2020 18:00

Geral   ESPECIAL COLONO E MOTORISTA

O vermelho vivo e o sabor inconfundível dos morangos não só cativa muitos paladares no consumo in natura, em sucos, geleias, tortas e derivados, mas tem conquistado cada vez mais produtores. Só em Vale do Sol são 13, dos quais três jovens estão começando este doce cultivo, segundo a Emater/RS-Ascar local. Uma delas é Jessica Dombrowisky, 21 anos, e o marido Adriano Kohl, 25 anos, da localidade de Campos do Vale. É o casal que vai conciliar a produção da fruta com os serviços junto à lavoura de tabaco. A ideia de diversificar a propriedade - e gerar mais uma fonte de recursos à família - veio do desejo de produzir algo ao longo do ano com renda mensal, e não por safra, como é o caso do fumo.

MUITO ESTUDO PARA EXPERIMENTAR
Para poder cultivar pela primeira vez neste mês de julho, o casal investiu numa estufa para plantar as mudas de forma suspensa, em arquibancadas, com adubação via gotejamento. Será um experimento e como todo início, causa expectativa pelo empreendimento. Jessica conheceu de perto a rotina em outra propriedade já estruturada para o morango, e tratou de estudar, assistindo vídeos, pesquisando na internet e, principalmente, com o conhecimento passado pela equipe técnica da Emater, sobre os cuidados, manejos e a produção para o ano todo.

“Queremos chegar nos 10 mil pés de morango. Agora, neste primeiro ano, iremos começar com 2 mil plantas, para nos adaptarmos com o cultivo e o manuseio”, explica Jessica, demonstrando cautela para dar um passo de cada vez. Os desafios ela sabe que serão grandes, afinal, ainda precisará conquistar mercado, vender a produção que virá nos próximos meses, mas Jessica e Adriano estão prontos para inovar e diversificar.

O chefe do escritório local da Emater, Dagoberto Soares Antunes, explica que vários fatores justificam a aposta dos vale-solenses no morango. “Diversificação da propriedade e renda, é um sistema de baixa mão de obra, tem demanda e liquidez para a venda”, resume ele. “As famílias que têm se dedicado têm bons resultados de renda e qualidade de vida por ser menos penoso o manejo”, completa.

A história do casal integra o Especial Colono e Motorista, produzido pelo Jornal Arauto e encartado na edição de sexta-feira. Leia mais no impresso. 


Foto Carolina Almeida/Jornal Arauto
Produção cresce a cada ano em Vale do Sol, com olhar voltado à diversificação e renda extra
Produção cresce a cada ano em Vale do Sol, com olhar voltado à diversificação e renda extra