Produtor de Vale do Sol vai investir no cultivo de trigo em 2020


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 26/07/2020 08:00
Atualizado 26/07/2020 14:24

Geral   ESPECIAL COLONO E MOTORISTA

Tem plantação de trigo em Vale do Sol. A novidade vem da propriedade de Clair Ferreira Gomes, que vive em Faxinal de Dentro, nas proximidades da RSC-287. Produtor de soja, ele resolveu apostar no cultivo de cereais de inverno para melhorar o manejo do solo, além de agregar renda, claro. A intenção, nesta primeira safra, semeada em junho, não é tanto o lucro, mas o desempenho na rotação de culturas na estação do frio. Há anos, Clair mantém o cultivo de aveia e azevém (que seria bom se tivesse criação de gado, mas não tem), que por sua vez está ficando resistente ao herbicida. “É uma forma de experimentar com pouco custo, levando em conta o clima”, reflete ele, com os pés no chão. O clima tem efeito decisivo, comenta o técnico agrícola Robson Konzen, da Coagrisol. Como há muita neblina no inverno gaúcho, deixa o solo muito úmido, o que não favorece o plantio em área de várzea. O ideal é apostar nas coxilhas.

Por isso, 1,7 hectare da área da soja foi usada para essa experimentação. Há uma década a família não cultiva mais tabaco, substituiu pela soja e pela produção de pepinos destinados à indústria das conservas. Agora, mais uma vez, Clair sai da zona de conforto porque quer aprender. “Quero descobrir o trigo, ver qual resposta vai dar aqui em Vale do Sol, considerando nosso clima e analisando o mercado”, destaca. Afinal, pode se tornar a chance de duas safras por ano - com a soja e o trigo.

A cautela na hora de investir é marca do produtor. O técnico agrícola que o acompanha reconhece esta virtude. “No início sempre se erra, por isso se erra ‘pequeno’, sem grande investimento inicial”, diz. Não foi preciso comprar maquinário, basta adaptar a plantadeira e a colheitadeira para trabalhar no trigo. A primeira colheita deve ocorrer no fim de outubro. Com prudência, Clair atesta que é importante inovar no campo, mas com calma e os pés no chão. Antes de substituir culturas, convém estudar, experimentar gradualmente. “Mais do que plantar alguma coisa, precisa estudar, saber o que plantar e ter para quem vender”, resume ele, sempre com a matemática na cabeça. “Se tu fizeres tua parte o menos errado possível, só o clima para não dar uma colheita satisfatória”, completa o produtor,  confiante na aposta.

A história de Clair integra o Especial Colono e Motorista, produzido pelo Jornal Arauto e encartado na edição de sexta-feira. Leia mais no impresso. 


Foto Carolina Almeida/Jornal Arauto
Produtor vale-solense experimenta cultivo de trigo
Produtor vale-solense experimenta cultivo de trigo