Programa de vigilância colaborativa é tema de audiência na Câmara de Vereadores


Publicado em 02/12/2019 18:43 Atualizado em 02/12/2019 19:16 Política   SANTA CRUZ Fonte: Portal Arauto

Lançado recentemente em Santa Cruz do Sul, o Programa Vigilância Colaborativa foi tema de audiência pública na Câmara de Vereadores nesta segunda-feira (2). Através do programa, imagens de câmeras de condomínios, empresas, associações e pessoas físicas poderão ser disponibilizadas aos órgãos competentes na prevenção de crimes. O programa será viabilizado por meio de uma parceria entre a Associação de Entidades Empresariais de Santa Cruz do Sul (Assemp) e Prefeitura de Santa Cruz do Sul, por intermédio do Gabinete de Gestão Integrada Municipal.

O promotor de Defesa Comunitária, Érico Barin, avaliou o programa como positivo e ainda destacou que se trata de um projeto simples e acessível à população: "Esse programa irá facilitar o que hoje é tão difícil a autoridade policial ter acesso a essas imagens. Isso acaba aumentando a elucidação de crimes e teremos uma diminuição drástica no número de crimes", comenta. 

Conforme Barin, o programa é revolucionário, porque acaba sendo um facilitador do trabalho das autoridades policiais: "O sistema permite o acesso às imagens em tempo real, então ele tem um repressivo enorme. A tendência é de minimizar ou até erradicar os cimes em alguns locais. Mas o projeto tem um aspecto preventivo muito maior. Muitas das atitudes criminosas se dão porque o cidadão crê na impunidade, na medida que ele tiver a desconfiança que esse comportamento vai ser filmado e gravado, isso diminuiu drasticamente".

Como funciona o programa?

As câmeras privadas cedidas ficarão voltadas ao espaço público e serão custeadas por empresas ou pessoas que aderirem ao programa. Para participar, é preciso assinar um Termo de Adesão junto à empresa credenciada - inicialmente a Cindapa -, ter disponibilidade de internet para transmissão das imagens e pagar uma mensalidade de R$ 59,90 por aparelho ou locação (com valor conforme equipamento instalado). Segundo ele, as imagens serão armazenadas em uma plataforma e acionadas quando existir demanda. O gerenciamento do programa será responsabilidade da Assemp, com o credenciamento das empresas de segurança privada, condomínios, pessoas físicas e estabelecimentos e órgãos públicos que dispõem de câmeras de monitoramento. 

 

 

 

 

PortalArauto
(Foto: Jacson Miguel Stülp/ Divulgação)
PortalArauto
(Foto: Jacson Miguel Stülp/ Divulgação)











Copyright © 2016 Portal Arauto - www.portalarauto.com.br DB New