"Nós perdemos. O sentimento é de derrota e muita tristeza", diz comandante do POE


Por: Portal Arauto
Publicado 26/11/2019 12:33
Atualizado 26/11/2019 14:17

Polícia Cobertura Especial   COMOÇÃO

A morte da policial militar Marciele Alves, de 28 anos, durante confronto nesta segunda-feira (25) no município de Sério, no Vale do Taquari, comoveu diversas pessoas, familiares, amigos e colegas de profissão da jovem.

Nesta terça-feira, em frente ao Cemitério Municipal de Cachoeira do Sul, policiais do Pelotão de Operações Especiais (POE) - do qual ela fazia parte - fizeram uma roda de oração e, todos juntos, prometeram nunca deixar de serem unidos, principalmente pela Marciele. 

O comandante do Pelotão de Operações Especiais (POE) de Santa Cruz do Sul, tenente Marcelo Machado Sune, definiu Marciele como uma profissional dedicada, querida por todos, tanto pelos colegas do POE quanto do 23º Batalhão de Policia Militar: "Nós perdemos. O sentimento é de derrota e muita tristeza". Além disso, o tenente ressaltou que o POE é um grupo fechado e reforçou que todos os policiais que integram o pelotão são muito unidos. 

LEIA MAIS: 

Policial morta em confronto será sepultada nesta terça-feira em Cachoeira do Sul

O que se sabe sobre os criminosos responsáveis pela morte da soldado Marciele

"Uma excelente profissional. Amava o que fazia e o fazia com profissionalismo extremo", diz comandante sobre PM morta


Foto: Guilherme Bica / Portal Arauto


Foto: Guilherme Bica / Portal Arauto


Foto: Guilherme Bica / Portal Arauto