"Uma excelente profissional. Amava o que fazia e o fazia com profissionalismo extremo", diz comandante sobre PM morta


Por: Portal Arauto
Publicado 25/11/2019 19:23
Atualizado 25/11/2019 21:30

Polícia Cobertura Especial   LUTO NA POLÍCIA

A Brigada Militar está de luto. Foi confirmada no final da tarde desta segunda-feira (25) a morte da policial Marciele Alves, 28 anos, do Pelotão de Operações Especiais (POE) de Santa Cruz. Ela, que atuava na BM desde 2012, foi atropelada e morta por criminosos durante uma troca de tiros em Sério, no Vale do Taquari.

Em contato com a reportagem do Portal Arauto, o comandante do CRPO Vale do Rio Pardo, Coronel Valmir José dos Reis, lamentou o acontecido. "Hoje choramos a perda de uma grande pessoa e de uma grande policial. A Marciele chegou ao POE não por acaso. Era uma excelente profissional. Amava o que fazia e o fazia com profissionalismo extremo", disse.

Ainda sobre o triste episódio, o comandante complementou. "É a nossa rotina. Sabemos como uma ocorrência começa, mas não como termina", afirmou. 

Com a morte de Marciele, o Rio Grande do Sul chega a 5 policiais militares mortos em 2019.

Quem era

Marciele Renata dos Santos Alves residia atualmente em Santa Cruz do Sul, mas era natural de Cachoeira do Sul. Ela ingressou na Brigada Militar em 2012 e era filha de um brigadiano. Alem de policial militar, Marciele era estudante de Fisiologia na instituição de ensino Pós-Graduação em Ciências Biológicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Marciele estava na BM desde 2012
Marciele estava na BM desde 2012 (Foto: Divulgação )