Juju desperta o melhor que podemos ser

Juju desperta o melhor que podemos ser


Publicado 10/03/2020 13:54
Atualizado 11/03/2020 14:28

Desde novembro, quando iniciou a campanha Ame Juju, eu penso sobre o quanto nós – seres humanos – podemos ser bons. Júlia Cardoso Torres desperta o que temos de melhor, nos faz pensar sobre o que realmente importa e nos une em uma grande corrente de compaixão. Nos faz ainda ver o quanto podemos amar o próximo, mesmo que ele não tenha nosso sangue e nem esteja presente em nossa rotina.

Por isso, embora muitos livros não indiquem apego entre jornalista e fonte, preciso confessar o quanto essa menina já me tornou melhor. E eu sei que vocês me entendem. Santa Cruz do Sul e o Vale do Rio Pardo trabalham em prol dessa vida. Dessa pequena menina que nos lembra diariamente que, no meio desse mundo de distrações e futilidades, há batalhas que devemos lutar.

Juju e o valor gigantesco de R$ 9 milhões também nos faz perceber o quanto ainda precisamos reivindicar nossos direitos na saúde pública, mas que somos capazes de lutar, com nossas próprias forças, enquanto não somos assistidos. Com ela, percebemos que o pouco de cada um é sim o muito que ela precisa. E vamos todos conseguir. Por Juju, por sua família e por nós mesmos. Afinal, cada gesto de solidariedade nos torna pessoas melhores. Seres humanos com paz no coração e combustível de muita fé.

Nas duas oportunidades que estive ao lado de Juju, para depois contar alguns trechos de sua história, voltei para o trabalho com muitas palavras presas em meu coração, com o olhar banhado de lágrimas e com muita, mas muita vontade de ser cada dia alguém melhor. Uma pessoa que se lembre, a cada pequena dor, o quanto a dor do outro pode ser maior. Alguém que se importe cada vez menos com o material e cada vez mais com o que temos guardado no peito. Um ser humano que, ao ver a angústia do outro, deixe de ignorar e passe a fazer a diferença.

E nossa pequena lutadora, portadora de Atrofia Muscular Espinhal (AME), representa os outros milhares de casos iguais ou semelhantes, mas que, da mesma forma, merecem nossa atenção. Um pequeno anjo de cabelos negros, olhos espertos e sorriso doce. Ajude a curar Juju, pois ela nos salva a cada dia.

Para ser uma formiguinha, compartilhe a hashtag #AmeJuju, divulgue a campanha @amejujurs e doe clicando aqui.

Leia mais: Nove milhões de motivos para salvar Juju

Foto: Luiza Adorna/Portal Arauto






Luiza Adorna Jornalista, sonhadora e escritora. Apaixonada pelas letras e pelo jornalismo desde criança. Gosta de observar a vida e registrar o que enxerga pelas ruas. Gosta de contar a história das pessoas. Gosta de narrar a existência humana. Notas de Rua é um blog sobre a vida, sobre o cotidiano e sobre aquilo que não deve passar despercebido.